domingo, 22 de abril de 2012

Alguém

E daí se sou assim? Sempre fui. E daí se quero rir e chorar ao mesmo tempo? Me deixe. Quero andar por ai chorando, quero que me olhem e sintam uma pena enorme, e depois virar as costas e rir tão alto da cara de todo mundo que acabo voltando a chorar. E daí se não sei sonhar, mas mesmo assim quero encontrar o caro dos meus sonhos numa livraria com meu livro preferido em mãos? E daí? Ora essa, me esquece. 
Quero ficar por aí, sabe de bobeira? Escutando minhas músicas, e gritando qualquer besteira pra quem quiser ouvir. É, eu queria gritar... Bem alto sabe? Pra todo mundo ouvir. Nada de "eu te amo" ou "minha vida é você", nada disso! Queria ficar gritando palavras aleatórias e estranhas do tipo "INAPETENTE" ou "FITOPLÂNCTON". E depois colocar uma música alta e dançar sozinha, e chorar, e sorrir, e cair...
Quero um carinho no pé do ouvido, alguém colocando meu cabelo atrás da orelha e beijar meu olho. Alguém me abraçando de mansinho me levando pra dançar, ou só pra ficar abraçado mesmo. Alguém que não solte. Alguém que grite alto comigo me dizendo o quão louca eu estou. Alguém que fale que eu não falo nada com nada, mas que entende tudo. Que ri de mim depois de me dar o maior sermão. Alguém que vá embora, e que realmente vale a pena sentir uma tremenda falta. Alguém que você chore por tal, mas te proporciona o melhor sorriso do mundo. 
Acho que quero alguém, diferente de todos que eu não tive, e de todos que eu talvez tive, e diferente de tudo que um dia eu vou ter. Alguém cheio de defeitos, piores do que o meu, mas que seja  a pessoa mais engraçada do mundo. Alguém que faça valer a pena sair de casa mesmo estando com a maior cólica da vida.
Só quero alguém me me abrace e fiquei aqui em dias como este. Que não dizem nada, apenas abraça mais forte, e mais forte, e mais forte... E aí acaba, ou começa... Sei lá, me deixa vai...

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Não sei viver nesse jardim


"Querido, essa manhã eu acordei e eu não sabia. Ah querido, eu acordei sem saber simplesmente. Acordei sem saber de nós, sem saber de mim, sem saber de você, sem saber do mundo. Acordei com vontade de não saber e prosseguir com isso. Prosseguir com o não saber, mas sem você. Deixei para ti essa rosa, logo irá morrer. Tirei-lhe a vida querido, matei esta rosa para mostrar-te meu amor, então cuide-a, trate-a, pois seus dias estão contados por minha causa. Estou sofrendo por ela e por nós. Sinto-me uma rosa fora da roseira. Estou fora meu bem, e com os dias contados. Assim como todos estão...
 Mas deixe-me dizer o quanto te amei. Ah querido, como amei... Amei-te a ponto de tirar a vida de uma pobre rosa, que nada me fez. E concluo que sou tua rosa querida. E assim como esta, sinto-me arrancada de minha roseira. Então apenas me deixe voltar, voltar para onde eu conseguia florescer. Não sei viver no teu jardim de girassóis, mas tentei..."

terça-feira, 3 de abril de 2012

Alice: Agora


- Às vezes eu queria sumir sabe? - Alice voava em seus pensamentos enquanto falava comigo - Queria ir para um lugar longe, e ficar lá, só ficar lá...
- Mas ficar lá fazendo o que Alice? - perguntei um tanto quanto curioso.
- Ah sei lá... - Ela disse percebendo a graça daquela palavra enquanto sorria em minha direção. - Fazendo nada mesmo, apenas pensando, ou ficar deitada. Isso ficar deitada em um daqueles lugares bonitos, sem precisar fazer nada. Apenas pensar...
- E em que você pensaria meu bem? – dizia enquanto acariciava os longos cabelos da minha pequena.
- Ah que pergunta difícil. - a graça das palavras ia surgindo e junto dela o sorriso de Alice. - Poderíamos pensar em tantas coisas.
- Poderíamos? - disse rindo ao perceber que estava incluso nessa "viagem" - Eu estaria lá com você Alice?
- Por que não estaria querido?! - ela estava surpresa. Pela primeira vez vi Alice surpresa. Ela não havia perguntado, mas afirmado também... Não sei ao certo como explicar. Mas Alice estava diferente, tudo estava diferente, até aquele sorriso. Tudo estava mais bonito, mas colorido... Eu sei, eu sei, pareço um idiota dizendo essas coisas, mas é porque realmente era o estado da situação.
- Você quer saber o que eu queria? - Ela encheu os olhos para prestar atenção enquanto balançava as mãos ao som da música que tocava ao fundo. - Queria não. Quero! Quero que esse momento dure. Dure o quanto poder. Eu não quero perder isso Alice. Eu não quero perder você...
- Eu estou aqui agora querido...

poderá gostar também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...