segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Apenas mais uma sobre você

O seu cheiro parece estar em todos os lugares, é como se ele tivesse grudado em mim e agora me acompanhasse eu todo lugar que eu vou. É como sua imagem. Não importa onde eu esteja ou o que esteja fazendo, ela simplesmente aparece, e é assim, eu estou pensando em você o tempo todo.
A verdade é que eu não consigo nem ao menos fazer planos sem te incluir de alguma maneira. É como se eu quisesse te carregar e colocar um pouco de você em tudo que eu faço, e bem, é o que eu tenho feito. Eu te carrego em mim, bem perto, mas não é por medo de te esquecer ou te perder em algum lugar, até porque mesmo longe eu ainda iria arranjar um jeito de te carregar.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Sobre o fim

Eu não sei o que você esperava. Quais os motivos te levaram a acreditar que isso fosse chegar a algum lugar. Acontece que nunca chega, e no fundo eu sei, esse não é o fim que você deseja, mas isso é vida real e as estórias acabam de repente.
Tudo passa, e não importa os nossos esforços, certas coisas não foram feitas para durar, e a pior parte é ter que aceitar isso. Nossa vontade de querer que tudo dure para sempre é enorme, porém nem nós somos eternos. O que existe depois disso, talvez só Deus saiba nos dizer, se é que você acredita em algum Deus. Crer em alguma coisa de vez em quando ajuda, mas nem sempre.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Compulsões

De longe eu podia ver o seu sorriso. Não acho que você poderia ver o meu, eu estava longe o suficiente para que você não percebesse. Enquanto tentava sair daquele lugar, me sentia mais leve. Eu não sei o motivo, mas parecia um alívio. Eu fui atrás de você mais uma vez, mas dessa vez estava tudo bem. Minhas amigas dizem que é falta de amor próprio. Talvez seja de fato. Mas eu não me importo. Eu senti vontade de te ver então eu vim. Toda vez era assim. Eu tinha vontade e fazia. Era simples e parecia prático. Mas para as pessoas isso sempre pareceu loucura. Sempre pareceu loucura eu simplesmente querer satisfazer minhas vontades, principalmente as efêmeras. Mesmo assim, eu fazia.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Sobre amores no trem

Crédito da imagem
Quando me levantei eu estava completamente sozinho. O silêncio me fazia pensar em tudo que eu não queria. Eu precisava de um lugar. Precisava de um lugar com pessoas, com barulho, com movimento... Precisava de agitação. Peguei um livro na estante e sai de casa. Nem ao menos me preocupei em fechar as janelas. Que molhasse se chovesse! Eu sempre fui desses.
Enquanto esperava o próximo trem sentado na plataforma, tentava observar as pessoas. Tentava encaixar situações para elas, interpretar suas faces mal humoradas, suas risadas altas, seus passos apressados... De alguma forma eu tentava inventar histórias para cada uma que ali estava.

domingo, 15 de setembro de 2013

Sobre cervejas quentes e amores frios

Foto original de http://www.lomography.com.br/search/beer/4/14367717
Créditos da imagem
A cerveja estava quente, mas o bar estava lotado. Você não estava prestando atenção em mais nada. E sinceramente, eu só estava prestando atenção nos meus próprios problemas. Eu sempre fui egoísta, nunca soube enxergar os problemas alheios, você sempre soube e odiava isso. Porém você amava mais coisas em mim do que odiava. O tempo costumava passar mais rápido, nós costumávamos ver tantas pessoas chegando e partindo nesse bar, costumávamos rir delas. Rir dessas pessoas que não aproveitam e não se deixam embalar pelos sentimentos bons que a vida nos oferece às vezes. Mas o problema é que não sabíamos que nem sempre a vida oferece bons momentos, e que às vezes o tempo nos prende e não passa.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Sobre precisar

- Eu preciso de você. - você me disse isso em um tom calmo, quase como se não precisasse, mas ao olhar em seus olhos eu podia sentir. Eu sabia que aquele era um pedido verdadeiro.
Enquanto estávamos lá, mergulhados no nosso silêncio com nossas mãos frias entrelaçadas eu podia sentir que eu também precisava de você. Mas precisar é algo muito forte, muito intenso para dizer a alguém. Nós seres humanos precisamos de muitas coisas.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Isso é tudo, menos seu.

Do canto da parede, no chão frio onde meu corpo se encontrava naquele momento eu podia te ver. Eu podia te ver através do espelho no quarto. Suas coisas estavam espalhadas na cama, tinha algumas coisas no chão também. A confusão tinha sido tão grande... Você estava sussurrando alguns palavrões. Você sempre faz isso quando não sabe o que fazer. Enquanto socava algumas coisas na mala, você chutava outras que estavam no seu caminho. 
Eu poderia ir até lá. Eu poderia chegar de mansinho e te abraçar lentamente, daquele jeito que eu sempre fazia quando brigávamos. Eu até mesmo poderia te beijar da forma calorosa como costumávamos nos beijar, poderia jogar todas essas coisas da cama no chão e deixar isso passar. Deixar isso ser só mais uma bagunça nas nossas vidas... Mas dessa vez eu não podia. Dessa vez meus beijos quentes não seriam suficientes, nem mesmo o meu perfume floral que você tanto gostava. Essas coisas não iriam mais fazer diferença.

sábado, 3 de agosto de 2013

Eu já estou chegando

Leia escutando.

Quando você ligou e disse que queria me ver eu já sabia que esse seria um daqueles finais de semana que eu não iria esquecer tão cedo. Eu estava animada, e tudo que eu queria era te ver.
A música era boa, nossos corpos balançavam, nossos sorrisos se misturavam com nossos beijos e era uma mistura de sabor. Não tinha muitas novidades, não tinha conversa. Éramos apenas nós. Apenas estar juntos, o resto não era importante. Ninguém entendia, mas ninguém precisava entender mesmo.
Aquele ambiente já estava pequeno, o seu carro já estava apertado, sua casa parecia perfeita. E o tempo voava, mas eu não me importava, eu tinha você.

terça-feira, 23 de julho de 2013

Sobre avaliações, se perder e estar completamente louca por você

Você me perguntou se era bom para mim, e você sabe que mesmo falando tanto eu nunca digo tudo. Minha resposta foi vaga demais para explicar o que você é para mim. Meus sentimentos parecem limitados, mas você sabe que sou imensidão sem fim para tudo nessa vida.

Você não é bom para mim. É verdade. Você me deixa confusa, desajeitada, sem graça, vulnerável, sensível. Você sempre consegue ver através de mim. Você enxerga o eu que as outras pessoas não podem ver. Então você não pode ser bom. Você me arranca sorrisos, suspiros, rimas desajeitadas e textos espontâneos. Faz parte dos meus planos até mesmo sem querer. E você ainda quer que eu te diga que você é apenas bom? Você é excelente.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Para os amores que ainda não foram esquecidos

Você disse que procuraria por mim, disse que estaria aqui nos momentos que eu precisasse. Você me prometeu muitas coisas. Mas essa é a vida, não é? Talvez amor seja isso, promessas vazias cheias de boas intenções. 

As coisas mudaram desde novembro. O frio se instalou na cidade, minha mãe resolveu pintar a casa e temos um gato agora. Minha mãe diz que ele é tão carente quanto eu, talvez seja de fato. Desde daquele dia que vi você partir eu sabia que ia sentir sua falta mais do que o normal. Depois o último telefonema, e agora estou aqui desejando lembrar o som da sua voz, mas é tudo vago. Só o sentimento que continua imenso no meu peito. E é verdade, as memórias se apagam um dia, as fotos somem, as cartas são rasgadas, e de uma hora para outra não há mais nada. Mas ainda há algo aqui, infelizmente.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Carmen

Ela sabia que estava sozinha. Abandonará toda a boa vida que poderia ter tido. Carmen jamais desejou as coisas que ofereceram-lhe. Tinha essa birra constante com o mundo, dizia que não precisava provar nada para ninguém, mas todos conseguiam ver que tudo que ela fazia era para as pessoas notarem-na. Suas intenções não eram más, mas como sempre dizem de boas intenções o inferno está cheio. E no fundo é isso que Carmen deseja. Queimar no inferno em busca do seu paraíso perdido.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Sobre xícaras de chá e necessidades

Joana não precisava de nada. Na verdade desejava uma xícara de chá, mas não estava com vontade de preparar uma naquele momento. Durante algum tempo essa era a função dele, mas agora o chá já não tinha o mesmo gosto desde que ele se foi. Ficava forte outrora fraco; amargo ou algumas vezes doce demais. Joana definitivamente não sabia preparar o chá que tanto gostava. Enquanto pensava no chá ela se viu completamente dependente daquele que partira, pois quem agora iria preparar o seu chá?

Depois de muito pensar sobre essa questão, Joana levantou-se e preparou um café. Ela sabia como preparar, ela sabia o ponto certo, sabia sem precisar da ajuda de ninguém.


Joana descobriu que não precisava necessariamente do chá, precisava apenas de uma bebida quente para aquecer seu corpo, que agora descansava solitário. Com o tempo as pessoas descobrem o que de fato precisam. 

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Não preciso da sua ligação

Você prometeu ligar, mas na verdade eu não esperei por sua ligação. Você sabe que eu não preciso da sua ligação. Acontece que depois de tantas chateações você finalmente achou alguém que não está esperando essa bendita ligação. Porém, por algum motivo você decide ligar. Ligar pra falar que perdeu algo que estava no bolso da calça e precisa procurar, mas nós sabemos que você não deixou nada cair. Bem na verdade deixou, mas você sabe que levou tudo na manhã seguinte. Até mesmo se oferecer para limpar a bagunça da noite anterior você se ofereceu, mas meu bem já havia passado dois dias, e certamente eu já tinha limpado e sujado novamente a louça e os lençóis. Você perguntou se sobrou um pouco do vinho que bebemos no decorrer da noite, mas você sabe que não sobrou, você me viu secando o litro durante a madrugada.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Sobre vulcões, eu, Marina, João...


Acontece que não consigo aguentar certas coisas, e bem acho que isso não ocorre só comigo. Marina também não suportava certos tipos de atitudes. Acontece com todo mundo, inclusive com João.
Acontece que temos uma coisa dentro da gente, talvez seja o orgulho, mas não tenho certeza agora. Uma coisa que não nos faz querer acreditar que não somos tão bons. Temos o instinto natural de querer ser os melhores. Bem, eu tenho, João disse que tinha isso também..

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Lavanda


Tinha muito barulho, ele sentia sua mente se desfazendo e queria cair. Queria apenas se espatifar naquele chão e por lá ficar, mesmo com toda aquela gente, e todo aquele barulho. Queria apenas desligar-se.
O ambiente estava cheio, mas ele sentia apenas o cheiro dela. Ele sentia aquele perfume de lavanda por toda parte. E aquela voz ecoava. Ele não conseguia assimilar as coisas. De repente nada fazia sentido, muito menos estar ali. 

domingo, 5 de maio de 2013

Tudo que ela precisava


Sua cabeça estava longe. Na verdade não pensava em nada, e era justamente por isso que se sentia tão distante. Não havia nada para ser dito, então preferiu continuar calada. Era assim que deveria ser. Mas ele precisava ouvi-la, ele estava lá para escutá-la, ele queria saber o que se passava, mas o problema era justamente esse, nada se passava.

A apatia dela deixava-o incomodado. É claro que deixava. Ele se sentia culpado pelas confusões na cabeça dela, mas na verdade ele não tinha culpa alguma.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Sobre dançar só ou não


Ela dançava na pista como se nada pudesse para-la. Sentia-se livre, sabia que estava e adorava isso. Pela primeira vez não se importou se alguém fosse aprovar ou não o modo como dançava e com o comprimento de sua roupa... Tudo que queria fazer naquele momento era dançar. Entre um copo ou outro sorria. Todos conseguiam ver sua alegria. Algumas diziam que era fingimento, outros achavam que ela gostava de provocar os garotos, e bem a verdade é que ela só gostava de se divertir. Claro que adorava ser desejada, mas que mulher não gosta?

Os caras se aproximavam, mas ela só queria dançar. Aquelas bocas não faziam diferença agora. Eles não conseguiam entender, mas ela só queria ficar ali, dançar até o mundo acabar talvez.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Recuso o teu desamor querida



Teu corpo estava aqui, mas era apenas o teu corpo. Garota, você viajava enquanto nos amávamos, e não era no país do prazer. Eu gostaria de saber como te trazer para meu mundo, mas você nunca me dá atenção. Está sempre pensando, pensando, e no fim nunca pensa em nada.

Você sorri como se fosse uma obrigação, como se minhas piadas não fossem dignas do teu sorriso, e isso dói. Tu vivias para dizer que isto era amor. E agora é assim? É este o amor que tu dizias ter? Pois bem, me recuso a aceitar esse teu jeito de me amar, esse teu desamor.

terça-feira, 26 de março de 2013

Não é pouco


Essas coisas acontecem rápido demais. Eu não estava preparada e nem imaginava. Não imaginava que de repente alguém poderia aparecer assim e me virar do avesso como você fez. Não esperava que alguém fosse simplesmente chegar e me tirar da minha zona de conforto, me colocar no meio de uma guerra e o melhor de tudo, ficar lá comigo.

Você sabe que ando sem jeito pra escrever. É como se você tivesse tirado toda a minha capacidade de poetizar, como se tivesse arrancado de mim todas as palavras que eu poderia escrever. Você tira de mim essa vontade de complicar. Mas eu estou aqui tentando, tentando de alguma forma te dizer que você é especial, e que por mais que eu tente, eu não sei como não complicar.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Tudo ao mesmo tempo


Ela era só mais uma daquelas garotas boêmias que gostava de ser independente, mesmo não sendo tão independente assim. Gostava de coisas diferentes, que automaticamente eram iguais para muitas.

Adorava esbravejar por aí que não precisava de ninguém, mas não resistia quando ele a abraçava forte e beijava seu pescoço. Vivia a sonhar com mil e uma viagens, mesmo sabendo que não realizaria metade delas, porém gostava de imaginar.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Futuras lembranças de verão


O sol estava nascendo bem devagar. Era aquele momento que o céu ainda esta escuro, mas as silhuetas começam a ficar visíveis. Aquele sorriso estava se iluminando, e tudo que eu queria era que não amanhecesse, queria que o céu ficasse daquele jeito para sempre. Eu queria que aquele rosto meio iluminado congelasse para que eu pudesse observa-lo. Ele me abraçou com força, e me beijou. Ele me beijou por tanto tempo, que quando abrimos os olhos tudo já estava mais claro.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Nossa história não vai virar samba-enredo meu amor

Tudo parece complicado, mas na verdade é bem simples. É tão simples o jeito como suas mãos tocam nos meus ombros nus, e o beijo que começa de uma forma despretensiosa vira totalmente pretensioso de repente. Eu adoro essa tua simplicidade. Minha pele, meu corpo, tudo responde de uma forma instantânea aos acontecimentos. É tudo simples meu amor.
E o jeito como você parte, como se nada disso tivesse acontecido. Como se de repente nada disso tivesse realmente algum valor. E nós sabemos. Não tem.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Sobre bagunçar


Quando as coisas começaram a se complicar, eu sabia o que devia fazer. Sabia perfeitamente que o meu dever naquele momento era fugir. Correr pra longe, e te deixar lá. Mas não fiz isso. E quero deixar claro que a culpa não é minha. A culpa é sua. Sim, é sua!
Eu não tinha intenções de deixar você entrar, já tinha muita bagunça aqui. Não tinha espaço pra você... Mas você deu um jeito, você se infiltrou e quando eu percebi já estava aqui organizando as coisas, e jogando fora o que não prestava mais.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Questão de escolha


- Você acredita em contos de fadas, é isso mesmo? - ela disse enquanto ria alto.
- Ah, não é isso sua boba - ele dizia enquanto a beliscava para ver se continha o riso.
- Então o que é?
- Você não acredita que às vezes duas pessoas possam ser felizes para sempre?
- Eu não sei... - dessa vez ela conseguiu parar de rir e começou a pensar. - Acho que depende das pessoas. Existem casais que vivem para sempre, mas a maioria não é feliz... E em muitos casos, nunca foram felizes, e provavelmente nunca serão...
- É triste isso, não?

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Anel de brilhantes


"Você me ligou aquela tarde, disse que precisava me ver, então eu fui. Fui com todas minhas expectativas e meus desejos. Fui com toda a vontade que alguém pode ter no mundo. Preparei a melhor roupa, as melhores conversas, o melhor sorriso. Preparei o melhor de mim.

Conversamos tanto, rimos, compartilhamos tantas coisas. Mas era tudo falso. Todo aquele papo sobre o emprego novo e os planos para o futuro. Era tudo mentira meu amor, me desculpa. Todas minhas expectativas eram falsas, e eu sabia desde o começo.

poderá gostar também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...