quinta-feira, 4 de abril de 2013

Recuso o teu desamor querida



Teu corpo estava aqui, mas era apenas o teu corpo. Garota, você viajava enquanto nos amávamos, e não era no país do prazer. Eu gostaria de saber como te trazer para meu mundo, mas você nunca me dá atenção. Está sempre pensando, pensando, e no fim nunca pensa em nada.

Você sorri como se fosse uma obrigação, como se minhas piadas não fossem dignas do teu sorriso, e isso dói. Tu vivias para dizer que isto era amor. E agora é assim? É este o amor que tu dizias ter? Pois bem, me recuso a aceitar esse teu jeito de me amar, esse teu desamor.


Seus abraços não são apertados, são apenas braços que me cercam, e eu já estou farto. Estou farto de te amar sem medidas, e você não me amar de nenhuma maneira. Qual é o problema meu bem? Não sou bom suficiente? Meus dentes são tortos? Minha voz te incomoda? O que acontece?

Você disse que estaria aqui quando eu precisasse, mas eu estou sempre precisando de ti e cadê você? Você some. Mas não me avisa, não me liga, não me atende. E vive bem com tudo isso.
Olha minha querida, ou você vem logo, ou fique por ai mesmo. Ai onde esteve esse tempo todo. Não que eu não te queira, muito pelo contrário. Mas quero você inteira, quero você me querendo, sorrindo, mordendo meu lábio, quero você me amando. É difícil entender?

Nenhum comentário:

poderá gostar também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...