quinta-feira, 27 de junho de 2013

Carmen

Ela sabia que estava sozinha. Abandonará toda a boa vida que poderia ter tido. Carmen jamais desejou as coisas que ofereceram-lhe. Tinha essa birra constante com o mundo, dizia que não precisava provar nada para ninguém, mas todos conseguiam ver que tudo que ela fazia era para as pessoas notarem-na. Suas intenções não eram más, mas como sempre dizem de boas intenções o inferno está cheio. E no fundo é isso que Carmen deseja. Queimar no inferno em busca do seu paraíso perdido.

Não acreditava em nada. Simplesmente não tinha fé, mas gostava de ser uma boa pessoa, boa até o seu limite. Ela gostava de jogar seu próprio jogo, não sabia lidar com regras alheias, apenas com as dela, e mesmo assim fazia questão de quebrar algumas. Carmen só queria ver o circo pegar fogo enquanto comia sua pipoca doce. Chamavam-na de fútil, e talvez fosse verdade. Ela não se importava mesmo, e era isso que incomodava tanto os outros. Uma palavra não seria suficiente para defini-la, ela não era esse tipo de garota previsível, ela não sabia do que de fato fugia, ela não sabia o que desejava nessa vida. Mas mesmo assim ela fugia, desejava, vivia...

Carmen não se importa, não está interessada, está sempre irritada. Carmen gosta de se divertir à sua moda. Não precisava de padrões. Não tinha motivos para ser como as outras, porém não tinha paciência para ser diferente delas. Carmen era simplesmente a garota que ela quisesse, na hora que ela bem entendesse. Ela apenas era.

Nenhum comentário:

poderá gostar também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...