domingo, 15 de setembro de 2013

Sobre cervejas quentes e amores frios

Foto original de http://www.lomography.com.br/search/beer/4/14367717
Créditos da imagem
A cerveja estava quente, mas o bar estava lotado. Você não estava prestando atenção em mais nada. E sinceramente, eu só estava prestando atenção nos meus próprios problemas. Eu sempre fui egoísta, nunca soube enxergar os problemas alheios, você sempre soube e odiava isso. Porém você amava mais coisas em mim do que odiava. O tempo costumava passar mais rápido, nós costumávamos ver tantas pessoas chegando e partindo nesse bar, costumávamos rir delas. Rir dessas pessoas que não aproveitam e não se deixam embalar pelos sentimentos bons que a vida nos oferece às vezes. Mas o problema é que não sabíamos que nem sempre a vida oferece bons momentos, e que às vezes o tempo nos prende e não passa.

A cerveja estava quente, e não tinha mais conversa. Tudo que tinha para ser dito, já tinha sido. Quando foi que a gente se perdeu assim? Quando foi que nossas conversas foram acabando? Quando foi que você parou de descobrir que eu era incrível e começou a perceber que às vezes eu sou um saco? Eu não sei querido, mas eu queria tanto saber. Eu queria saber para voltar e mudar tudo. Eu nunca fui daquelas que erram e se conformam com o erro. Eu nunca sei me conformar, e eu não sei me conformar com esse nosso desamor.

A cerveja continuava quente, e o seu amor parecia esfriar. Quando foi que os papéis foram invertidos? Nossa cerveja costumava não esquentar, costumava não durar. E agora estamos aqui com nosso amor frio e uma cerveja que parece não acabar nunca. Mas apesar de tudo isso, eu não consigo deixar você ir, e nem posso. Porque nós sabemos que isso passa. E que hoje só é um dia ruim para se estar em um bar, que só estamos cansados demais para tentarmos ser perfeitos e que não tem problema se sentir assim de vez em quando. É tudo culpa da cerveja querido, mas esquece meu bem, a que eu tenho lá em casa está geladinha, e o meu amor por você está tão quente, quente o suficiente para te fazer perceber que eu sou mesmo um saco às vezes, mas no fundo eu sou a pessoa mais incrível que você já conheceu no mundo todo.

Nenhum comentário:

poderá gostar também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...