segunda-feira, 24 de agosto de 2015

O amor de Johnny Cash e June Carter


Nessa última madrugada finalmente assisti ao filme Johnny e June (Walk the line), que retrata não só a carreira de ambos cantores, mas a belíssima história de amor entre eles.

Em uma das minhas pesquisas encontrei uma matéria em que o filho do casal, John Carter Cash, falava sobre a vida de casado dos pais. Ele conta que não foi fácil o período que permaneceram juntos pois Johnny e June brigavam o tempo todo, ambos tiveram que lutar contra seus vícios, June tinha medo de ser traída, passaram por grandes problemas financeiros... Mas apesar das dificuldades, permaneceram juntos e se amaram verdadeiramente até o fim de seus dias.

Essa história me fez pensar na ideia platônica de que o amor deveria ser algo simples e fácil, que não deveria machucar tanto, ser tão duro como é de fato. Pois bem, eis o problema: o amor é complicado. É difícil conviver com os problemas, vícios e manias de outra pessoa, quando às vezes ainda nem aprendemos a lidar com os nossos. Mas encontramos o verdadeiro amor na dificuldade. Porque o verdadeiro amor não está em somente aceitar o outro, mas em saber lidar e conviver com todos problemas que iremos enfrentar ao longo do caminho, é olhar através de cada coisa ruim ou de cada coisa que parece complicada demais para seguir, e enfrenta-la. Amar é ter coragem de seguir ao lado de outra pessoa abraçando não só o que ela tem de bom, mas abraçando cada defeito e erros que ela venha a cometer. Amar não é para fracos.

Eu poderia desejar que todos nós fossemos corajosos suficientes para amarmos de verdade, mas o amor não é uma obrigação. O amor é para aqueles que estão dispostos. A caminhada pode ser longa, árdua, mas sabemos o real valor daquele que escolhemos para mostrar nosso poço de defeitos quando recebemos um abraço apertado, um sorriso matinal desajeitado ou quando o outro sabe o que desejamos apenas com um olhar. Amar é para os dispostos, pois quando se ama desistir não é uma opção. É para os corajosos, pois mesmos cansados e muitas vezes com medo, temos que encarar e tentar mais uma vez simplesmente pelo fato de amarmos.

"Feliz Aniversário, Princesa
Ficamos velhos e nos acostumamos um com o o outro. Nós pensamos da mesma forma. Nós lemos a mente um do outro. Nós sabemos o que o outro quer sem pedir. Às vezes nos irritamos um ao outro um pouco. Quem sabe, às vezes, não damos um ao outro o devido valor.
Mas de vez em quando, como hoje, eu medito sobre isso e percebo como sou sortudo em partilhar a minha vida com a melhor mulher que eu já conheci. Você ainda me fascina e me inspira. Você me influencia para o melhor. Você é o meu objeto de desejo, a razão # 1 para a minha existência terrena. Eu te amo muito.
Feliz Aniversário, Princesa
John"

O amor é uma coisa que queima
E ele faz um círculo flamejante
Conduzido pelo desejo selvagem - June Carter, Ring of Fire

Um comentário:

Poções de Arte disse...

ótimo!
Ainda não consegui assistir esse filme inteiro - só uns trechinhos -, mas sou apaixonada por filmes antigos.
Realmente, o amor não é para fracos e infelizmente, hoje em dia está "demodê". Tudo é motivo para "cortar da lista" e o que deve ser aprendido, aperfeiçoado... acaba se perdendo.
Amor não é só paixão. É necessário desenvolver a tolerância e sem perdão, não prospera. Todos temos falhas, defeitos, somos irritantes, fazemos e dizemos coisas que não deveriam... mas quando há o amor e o perdão, há transformação.
E isso não só para casais, mas se aplica entre amigos, entre irmãos, entre pais... Bom seria que todos entendessem e praticassem isso.

Amei a carta!

Abração esmagador e ótimo dia.

poderá gostar também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...